Bolkhovitinov S 1938

 

Bolkhovitinov S

Bombardeiro de alta velocidade
URSS de origem nacional
Designer Viktor Fedorovich Bolkhovitinov
Primeiro vôo 29 de janeiro de 1940
Número construído 2

O Bolkhovitinov S (Sparka – twin / juntou-se (motor)) era uma aeronave bombardeira de alta velocidade projetada e construída na URSS desde o início de 1937. Outras designações usadas em vários momentos: BBS, BB, LB-S ou SSS.

 

Desenvolvimento
O avião foi concebido como um bombardeiro leve rápido e um avião de reconhecimento. Para obter alta velocidade e boa aerodinâmica, foi acionado por dois motores M-103 em linha em conjunto no nariz de uma fuselagem, acionando duas hélices coaxiais de três pás contra-rotativas. O design tinha uma aparência bastante incomum, com o nariz comprido da fuselagem e um táxi da tripulação movido para trás, na direção do cauda dupla. As asas tinham uma forma de lutador e seu alcance era bastante curto. O VVIA sob Bolkhovitinov foi ampliado para enfrentar os problemas esperados no projeto do Bolkhovitnov S. O motor traseiro foi engrenado em dois eixos de alta velocidade que passavam por ambos os lados do motor dianteiro para acionar a caixa de engrenagens da hélice traseira, enquanto o motor dianteiro e a caixa de engrenagens dirigia a hélice para a frente através do eixo no meio da caixa de engrenagens da hélice traseira. A estrutura do S era predominantemente de pele estressada em liga leve, a asa tendo duas longarinas com peles superior e inferior rebitadas pesadas e a fuselagem construída a partir de painéis superior, inferior e lateral pré-formados, presos a quatro estrutura forte, mas relativamente simples de construir. Um total de 29 atuadores elétricos acionou as abas Fowler, o material rodante (girando 90 graus para ficar na horizontal), aba de saída do grande duto do radiador comum e muitos outros serviços. A unidade de cauda consistia em barbatanas duplas com lemes presos às pontas do avião de cauda, ​​elevadores de engrenagem variável e guias separadas de servo e compensação nos elevadores e lemes. O design detalhado da aeronave começou em 1937 e a construção em julho de 1938. O primeiro protótipo S-1 foi construído em 1939, mas foi feito para avaliar apenas uma estrutura de aeronave e, portanto, era alimentado por apenas um motor M-103. Estava desarmado e equipado com um trem de pouso com skid fixo. Ele voou pela primeira vez em 29 de janeiro de 1940, com a B.N. Kudrin nos controles.  Uma velocidade máxima era de 400 km / h. O segundo protótipo S-2 era alimentado por dois motores e armado com uma única metralhadora e bombas.
Quatro bombas de 100 kg foram transportadas verticalmente em uma baía entre o piloto e o artilheiro-navegador traseiro, sob um velame comum. Seus testes estaduais começaram em 20 de março de 1940 e duraram até julho de 1940.
A velocidade máxima alcançada foi de 570 km / h (354 mph). O avião tinha um bom manuseio, exceto para decolagem e pouso, que eram difíceis devido ao alto carregamento das asas.
Seu alcance e velocidade também foram inferiores ao estimado. Como resultado, foi decidido melhorar ainda mais o avião. No entanto, o avião não foi desenvolvido em favor dos próximos projetos de Bolkhovitinov.

 

Foi planejado primeiro construir também um avião de ataque com duas metralhadoras Ultra-ShKAS com uma alta taxa de tiro, na parte traseira da fuselagem, disparando para baixo e tripulado por um segundo membro da tripulação. Também foi proposta uma aeronave interceptora, armada com uma espingarda sem recuo de 37 mm, disparando para cima em ângulo e tripulada por dois tripulantes.

O avião não recebeu nenhuma designação oficial. Era conhecido principalmente como S – sparka (também conhecido como spartak, skorost (velocidade) ou Stalin), também conhecido como BBS – blizhniy bombardovshchik skorostnoi (bombardeiro rápido de curto alcance), BB – bombardovshchik Bolkhovitinova, LB-S – legkiy bombardovshchik sparka (bombardeiro leve emparelhado), SSS – svyerkhskorostnoi samolet (aeronave muito rápida).

Variantes
Bolkhovitinov I – A.M. Isayev foi o projetista principal deste bombardeiro experimental de caça / mergulho baseado em um menor ‘S’, com motores M-107 tandem previstos para aeronaves de produção e motores M-103 ou M-105 para o protótipo. Os recursos avançados planejados para o ‘I’ incluíam a estrutura de liga de magnésio (Elektron), tanques de combustível integrais, material rodante de triciclo e provisão para o lançamento de catapulta.
Bolkhovitinov D – Um bombardeiro pesado projetado com duas usinas de força de motores em tandem com uma fuselagem tipo fuso com gôndola projetada, asa média e rodas principais duplas, área de asa de 140m2, peso máximo de 28.000 kg (61.729 lb). Uma variante de passageiros também foi planejada, mas todo o trabalho foi abandonado no início das hostilidades com a Alemanha em 1941.

Especificações (Bolkhovitinov S bimotor)
Dados de Gunston, Bill. “A Enciclopédia Osprey de Aeronaves Russas 1875-1995”. Londres, Osprey. 1995. ISBN 1-85532-405-9

 

 

Características gerais

Tripulação: 2
Comprimento: 13,2 m (43 pés 4 pol.)
Envergadura: 13,8 m (45 pés 3-1 / 4 in)
Área da asa: 26 m2 (280 ft2)
Peso bruto: 5.652 kg (12.460 lb)
Central elétrica: 2 × Klimov M-103, 715,9 kW (960 hp) cada
atuação

Velocidade máxima: 570 km / h (354 mph)
Alcance: 700 km (435 milhas)
Armamento

1 x 7,62 mm ShKAS mach

Bolkhovitinov S-2M-103 Sparka

✈Com a intenção de criar um bombardeiro leve de alta velocidade com uma boa aerodinâmica Viktor Bolkhovitinov projetou uma aeronave que ficou conhecida como Bolkhovitinov S ou Sparka.

Durante os ensaios de vôo, a Força Aérea Soviética (VVS) se referiu à aeronave como S-2M-103 Skorostnoy (alta velocidade) no entanto, várias outras designações foram aplicadas ao longo dos anos.

A designação mais comum foi “Sparka” que significa gêmeo, pelo fato dela ser impulsionada por dois motores M-103 em tandem, ou seja montadas longitudinalmente.

O Sparka era uma aeronave de asa baixa de construção totalmente em alumínio com película tensionada, tinha uma cauda dupla para aumentar o campo de tiro do artilheiro traseiro. O trem de pouso era completamente retrátil, sendo que a engrenagem principal era retraída em direção à parte traseira e as rodas giravam a 90 graus para ficarem planas dentro das asas.

O piloto e o navegador / bombardeiro / artilheiro sentaram-se em tandem em um cockpit longo. Entre o piloto e o segundo membro da tripulação havia um compartimento para bombas de até 400 kg. Possuía janelas nas laterais e uma de no fundo da fuselagem, logo atrás do compartimento de bombas, que fornecia ao bombardeiro uma boa visão do chão, ambas em plexiglass.

O Sparka era alimentado por dois motores Klimov M-103A posicionados no longo nariz da aeronave um atrás do outro. Este conjunto motor acoplado foi designado como M-103SP,  derivado da M-100, que era uma cópia licenciada dos Hispanic-Suiza 12Ybrs, e  produzia 960 hp.
Os motores eram refrigerados a água por um radiador único, instalado em um grande duto logo abaixo do motor traseiro, que atendia os dois motores.

Cada motor acionava a uma hélice de três pás coaxiais, girando em contra rotação. O motor dianteiro acionava a hélice traseira e o motor traseiro acionava a hélice dianteira através de um eixo de transmissão que percorria o eixo principal do motor dianteiro.

Este arranjo de motor a hélice era semelhante ao usado pelo FIAT AS.6 , o italiano MC.72 , Hispano-Suiza 12Y e no Arsenal francês VB 10.

Motor FIAT AS-6

Em 1937, Bolkhovitinov iniciou o trabalho de design no Sparka;
Em julho de 1938 começou a construção do primeiro protótipo;
Em janeiro de 1940 a aeronave fez seu primeiro vôo (alguns dizem, que foi no final de 1939) com B. N. Kudrin nos controles;

 

Motor Macchi MC-72
De março a julho de 1940 ocorreram os testes de velocidade, o Sparka atingiu 570 km / h, o que foi considerado bom. No entanto, a corrida de decolagem foi excessiva, as velocidades de aterrissagem foram altas e a visibilidade do nariz foi prejudicada pelo seu longo nariz. Além disso, alguns outros problemas foram encontrados com a rotação do eixo de transmissão da hélice traseira devido a ressonâncias e vibrações excessivas. Mesmo assim, a aeronave recebeu uma avaliação positiva, observando que a forma que os motores foram instalados eliminou de forma considerável o arrasto aerodinâmico se comparado com duas nacelas separadas, resultando em uma maior velocidade da aeronave.

Também em janeiro de 1940 uma versão desenvolvida em paralelo, de um único motor, voou para testar esta configuração, já não era a mesma aeronave, totalmente descaracterizada ficando conhecida como S-1.

De setembro a dezembro de 1940 uma nova asa foi projetada e testada, com uma seção de aerofólio NACA-230 destinada a melhorar o desempenho na decolagem e pouso da aeronave.

No início de 1942 a aeronave com o único motor M-105P de 1.050 hp, foi testada com esquis, atingindo uma velocidade máxima de apenas 400 km / h. Era equipada com um canhão no eixo do motor para disparar através do cubo da hélice.

Outros modelos com outras configurações foram testados. Até onde se sabe esta aeronave nunca chegou a entrar em produção e o seu desenvolvimento foi abandonado em resultado da invasão da Alemanha no final da Segunda Guerra.

Características gerais:
Tripulação: 2
Comprimento: 13,2 m
Envergadura: 13,8 m
Área da asa: 26 m 2
Peso bruto: 5.652 kg
Potência: 2 × Klimov M-103 , V12, 960 HP cada
Velocidade máxima: 570 km / h
Autonomia: 700 km

Leave a Reply