Convair B-36 o NB-36H

Versão com reator nuclear do Convair B-36 o NB-36H. Sempre escoltado por um B-29 com uma equipe de fuzileiros para isolar a área caso o avião caísse.


Mais abaixo o cockpit selado, construído de chumbo com 11 toneladas, para proteger a tripulação da radiação emitida.

O símbolo de radiação na cauda indica a perigosa carga do Convair NB-36H (USAF)

Imagine um avião que pode permanecer voando durante meses ou até anos sem precisar pousar para reabastecer? Os Estados Unidos e a antiga União Soviética não só pensaram nisso como também levaram a ideia do papel para os céus usando energia nuclear!

Na década 1950, quando o caldeirão da Guerra Fria começava a ferver, as duas nações lançaram projetos de aeronaves equipadas com reatores nucleares, que teoricamente deveriam gerar eletricidade para alimentar motores especiais. Uma ideia ousada, mas também extremamente perigosa.

Nos EUA, a ideia tomou forma com o protótipo Convair X-6, uma aeronave baseada no enorme bombardeiro B-36, um dos maiores aviões já construídos. O primeiro modelo, designado “NB-36H”, teve seu porão de bombas ocupado por um reator nuclear de 3 megawatt.

Embora não fosse tão grande, o reator acabou tomando todo o espaço do porão por conta de sua enorme blindagem, um “escudo” com 12 toneladas de chumbo e borracha que protegia a tripulação da radiação, e seu sistema de refrigeração com mais 5.000 litros de água.

A aeronave realizou 47 voos e acumulou 215 horas de voo entre setembro de 1955 a março de 1957. As operações eram realizadas sempre sobre regiões isoladas no Novo México e no Texas, devido ao risco de um acidente nuclear.

O reator nuclear do NB-36H era envolvido por borracha e chumbo para não contaminar os tripulantes (USAF)

O NB-36H, no entanto, nunca foi de fato movido por energia nuclear: foram realizados somente experimentos sobre o funcionamento de um reator a bordo de um avião e suas emissões de radiação. A fase seguinte, que seria justamente a conversão dos motores, acabou cancelada em 1958. Já os soviéticos…

Leave a Reply