Um pouco sobre Unimog

Um pouco sobre Unimog

Quando se pensa em veículos 4×4, só se fala no Jeep, que entrou em produção em 1942. Algumas pessoas cismam que o Land Rover, que entrou no mercado em 1948, foi o primeiro. Mas ninguém se lembra do Austin Champ, que foi adotado pelo exército inglês em 1946 e, se esquecem dos caminhões Unimog, da Mercedes Benz.

Ao final da Segunda Guerra Mundial, todos os países atingidos precisavam de veículos 4×4 que ajudassem em sua reconstrução, podendo operar em regiões com estradas destruídas, cidades em escombros, invernos com muita neve e lama. Cada país teve uma abordagem diferente para o problema e a mais interessante foi a abordagem alemã. Durante a guerra, não faltaram veículos militares alemães com tração 4×4 ou 6×6 – apesar de não aparecerem nos filmes de guerra -, simplesmente porque quase tudo foi destruído e veículos americanos e ingleses desfilaram pelas telas com insígnias alemãs. A própria Mercedes possuía uma versão de Comando e Reconhecimento, maior que o Jeep, com tração 4×4 e os dois eixos direcionais, criada ainda na década de 30!

Mas a história do Unimog pode ser traçada desde em 1942, quando os primeiros planos para um caminhão 4×4 de cabine avançada foram feitos pela Mercedes-Benz na fábrica de Berlim. Durante a guerra, quando a Alemanha pretendia vencer e dominar a Europa, foi divulgado o plano Morgenthau, que exigia um veículo de tração total e cabine avançada para uso agrícola. Os primeiros estudos foram conduzidos por Albert Friedrich.
Em 1945, poucas semanas após a rendição da Alemanha, um grupo de engenheiros e fazendeiros criou um sindicato para promover o progresso técnico na agricultura.

Os primeiros testes com o Unimog começaram no interior da Alemanha em 1946. Em janeiro, o trabalho começou. No dia 6 de março, o primeiro conceito foi concluído e, em outubro, o primeiro chassi começou a ser testado. Em dezembro, a carroceria ficou pronta e as primeiras demonstrações começaram a ser apresentadas.

Unimog, em alemão é um acrônimo para Veículo Universal Motorizado. Começou como um veículo pequeno, com enormes pneus e vão livre do solo, mas já com características muito desejáveis, como: suspensão e eixos traseiro e dianteiro iguais – facilitando a manutenção; molas helicoidais ao invés de feixes de mola, coisa que o Land Rover só incorporou em 1982 e o Jeep em 1998; bloqueio de 100% nos dois diferenciais comandado de dentro da cabine; lugar para duas pessoas e caçamba de carga.

Como o Land Rover, o Unimog não foi projetado para ser um veículo militar, mas um veículo de uso geral e uso na agricultura. Nesse aspecto, o conceito inglês e alemão foi o mesmo: com pouco dinheiro circulando e pouca matéria prima disponível, era preciso haver um veículo que pudesse ser usado no campo, com usina de força estacionária para acionar serras, bombas d’água, perfuratrizes, geradores elétricos etc; e que ainda pudesse levar seu proprietário às compras, entregas ou até mesmo ao lazer nas cidades mais próximas.

Em 1947, os primeiros motores a diesel começaram a chegar na fábrica e começou a busca por matérias primas necessárias para fazer 100 unidades pré-série.

Em 1948, o Unimog foi lançado em uma exposição comercial em Frankfurt, onde foram vendidas 150 unidades.

Em 1949 começou a produção comercial do Unimog em Goppingen, na Alemanha. Nesse ano, 600 unidades saíram da fábrica.

Em 1951, a Daimler-Benz AG assumiu o controle da fábrica. O pequeno caminhão/trator ainda era montado apenas com um pequeno motor de 25 cv.

Em 1953, a cabine aberta com capota de lona deu lugar a uma cabine fechada de chapa de aço.

Em 1956, a potência do motor foi aumentada de 25 para 30 cv.

Em 1958 chegou uma versão com entre eixos mais longo e o Unimog passou a ser o primeiro “trator agrícola” com câmbio sincronizado. Três anos depois, o Unimog número 50.000 deixava a linha de produção.

Em 1963 surgiu o modelo 406 e o veículo foi ficando mais próximo de um caminhão do que de um trator. O motor era Mercedes-Benz de 65 cv a diesel.

Em 1966, apenas 5 anos depois da marca dos 50.000, foi atingida a dos 100.000 veículos, já com uma ampla variedade de modelos.

Em 1970, os modelos com capota de lona ganharam uma barra de capotagem (arco de proteção) de fábrica.

Em 1971, atingida a marca dos 150.000 e, no ano seguinte, estavam disponíveis motores a diesel, variando de 36 cv até 110 cv. Curiosamente, o modelo S – comercializado como caminhão off-road – tinha um motor de 82 cv a gasolina.

Em 1977, atingida a marca dos 200.000, agora nas versões da série 1000, introduzida um ano antes e ainda encontrada pelo mundo afora.

Em 1978, o exército alemão comprou 17.000 unidades do modelo U1300L.

Em 1991, começou a produção dos modelos U90, muito usados em atividades off-road na Europa, quase um modelo esportivo.

Em 1996 foi lançado o modelo 6×6, adquirido direto pelo exército australiano.

A partir do ano 2000, a linha foi totalmente modificada.

Hoje em dia,o Unimog conta com sistema de freio a disco com duplo circuito a ar faz o Unimog parar com segurança mesmo quando ele está se movimentando em altas velocidades ou carregando cargas pesadas. Os freios a disco são autolimpantes, e as pastilhas de freio não contêm amianto. Uma funcionalidade especial para operações off-road é o ABS (anti-block system ou sistema antitravamento) de quatro canais, o qual pode ser desativado. Isso significa que as rodas podem ser travadas em terrenos íngremes, criando um calço de terra para garantir a menor distância de frenagem possível.

A suspensão do eixo através de molas helicoidais e tubos de torque permite o contato das quatro rodas com o solo em terrenos acidentados, além de oferecer um alto nível de conforto ao dirigir na estrada.
Possui rodas individuais, oferecendo uma grande variedade de pneus – desde pneus MPT (para vários fins), passando por pneus especiais tipo Deep Tread com alta tração, até pneus para areia. Isso possibilita melhor adaptação às condições do solo de cada região. As rodas traseiras seguem na trilha das rodas dianteiras – resultando em menos resistência ao rolamento e em melhor tração. Com o tyrecontrol® – sistema central de enchimento de pneus (opcional) – você pode, enquanto dirige – ou seja, com o veículo em movimento, ajustar a pressão dos pneus de acordo com o terreno. A redução de pressão evita que o veículo afunde em solos maleáveis, aumenta a tração e evita o atolamento.

Os travamentos diferenciais podem ser acionados pneumaticamente enquanto você dirige – com o veículo em movimento. Isso também garante que as situações mais complicadas serão superadas, desde que uma roda tenha tração suficiente. O Unimog pode vencer inclinações de até 100% totalmente carregado, o que corresponde a uma capacidade de subida de 45º.

Realmente espantoso o desempenho desses “meninos”…


Mais um pois estou até agora de boca aberta. Por essas e outras eu amo a estrela…

 

 

http://babybenzclub.blogspot.com/2008/06/um-pouco-sobre-unimog.html

Leave a Reply